Simplesmente Lu

Dezembro 06 2012


Espetáculo "A Bela Adormecida", com a Ballare Escola de Dança. FOTO: Manoel Pantoja

 

Toda a magia do conto “A Bela Adormecida”, um clássico da literatura infantil, tomará conta, neste final de semana, do belo Theatro da Paz. A Ballare Escola de Dança levará ao mais famoso palco paraense, no próximo sábado (8), às 20h e domingo (9), às 18h, a história do romance da princesa Aurora com o corajoso príncipe Desirèe, que luta para salvar o seu amor da malvada Carabosse, com a ajuda das fadinhas do bem, lideradas pela Fada Lilá. Essa é a primeira vez que a Ballare Escola de Dança monta uma versão completa do ballet “A Bela Adormecida”, sob a direção da bailarina, professora e diretora Ana Rosa Crispino.

 

“A história é a mesma do conto de fada. Apenas é contada através de muita dança, de acordo com o libreto que foi criado por Marius Petipá e Ivan Vsevolojsky”, explica Ana Rosa Crispino, contando que a montagem envolve desde os alunos do baby-class até os níveis mais avançados da escola. Alguns destes alunos já haviam participado, em janeiro de 2012, do “Workshop de Ballet Clássico de Repertório da Amazônia”, com os professores Ronaldo Martins e Rachel Ribeiro, do Rio de Janeiro. Realizado anualmente pela Ballare, no final do workshop sempre é montado um balé de repertório.

 

A remontagem da “Bela Adormecida” é de Ana Rosa Crispino, também responsável pela adaptação coreográfica, que conta também com a participação das bailarinas e professoras da escola Camila Viana e Suelen Lopes - que remontaram e criaram as coreografias das turmas infantis.

 

O elenco e a equipe técnica do espetáculo são totalmente paraense. Nos papéis da princesa Aurora, revezam-se as bailarinas Camila Viana (que dança no domingo) e Lorena Lane Teixeira (sábado). O bailarino Ronilson Cruz será o príncipe Desirèe e a Fada Lilás (Fada da Sabedoria) será interpretada por Suelen Lopes. Ana Rosa Crispino fará participação especial, encarnando Carabosse, a fada do mal.

 

Também participam do espetáculo o ator por Jean-Paul Lopez, na pele do Rei Florestan, a atriz e bailarina Andréa Torres (Rainha) e o ator e artista plástico Thiago Losant, que interpreta Cattalabutte, o mestre de cerimônia.

 

A bailarina Camila Viana (centro) como princesa Aurora da "Bela Adormecida". FOTO: Manoel Pantoja

 

MONTAGEM - “A Bela Adormecida” é um balé composto por prólogo e três atos, baseado no conto de Charles Perrault. A coreografia original é de Marius Petipá e a música é de Peter Ilyich Tchaikovsky. O ballet teve sua estréia mundial em cinco de janeiro de 1890, no Teatro Maryinsky de São Petersburgo, com a filha de Marius Petipá, Marie Petipá, no papel da Fada Lilás.

 

A responsabilidade da Ballare Escola de Dança é com toda a produção do espetáculo: ensaios, cenários, figurinos, contrarregragem etc. Ana Rosa Crispino explica que, da montagem feita no início do ano, também fizeram parte bailarinos que não são da Ballare. Na ocasião, participaram bailarinos de várias escolas e grupos de dança da capital e do interior do Pará e de outros Estados.

 

Além da direção de Ana Rosa Crispino, o espetáculo tem coordenação geral de Camila Viana e Suelen Lopes. Da equipe técnica também fazem parte Rubens Almeida (luz), Eduardo Florentino e Ronaldo Bittencourt (som) e Ribamar Monteiro, Nonato Rodrigues e Edivaldo Nere (palco). A remontagem e as coreografias são de Ana Rosa Crispino, Camila Viana e Suelen Lopes. Como assistentes de produção estão Estélia Viana, Ana de Jesus, Antônio Baía e Élio Viana. E no apoio do espetáculo, estão a direção, os colaboradores e os técnicos do Theatro da Paz.

 

A realização do espetáculo “A Bela Adormecida” também só foi possível graças ao apoio cultural das empresas Sococo, Alubar, Norte Comunicação Integrada, Assemb, On Line Produções, Boi Dóuro, Ver a Mídia, Fabel, Famiglia Trattoria, Sempre Viva e Freeserra.

 

SUCESSO – A Ballare Escola de Dança, que também possui a Ballare Cia. de Dança, formada por professores e bailarinos da escola, já remontou, com sucesso, a versão completa de balé famosos no mundo inteiro, como “Dom Quixote”, “La Bayadère”, “Giselle”, “Paquita”, “Coppélia” e o “O Quebra-Nozes”, além trechos de vários ballets, como “A Filha do Faraó”, “Lê Sylphides”, “La Fille Mal Gardèe”, “O Lago dos Cisnes” e “Esmeralda”.

 

De acordo com Ana Rosa Crispino, a maior dificuldade na montagem de espetáculos deste porte é o investimento feito nos cenários e nos figurinos. Mas ela também encontra outros entraves.

 

“A equipe técnica que temos em nossa terra para realizar tais produções é de muito boa qualidade. Os bailarinos também. O que falta é patrocínio e espaço. Quanto ao público também temos algumas dificuldades, pois o paraense não tem a cultura de assistir a produções de balé clássico de repertório”, analisa a diretora, que espera que as montagens que a escola realiza ajudem a formar plateia e despertar o interesse de crianças, jovens e adultos para este tipo de espetáculo.


Trecho da "Bela Adormecida", em montagem da Ballare. FOTO: Manoel Pantoja

 

HISTÓRIA – “A Bela Adormecida” começa com os preparativos para o batizado da princesa Aurora, no palácio do Rei Florestan, em um reino distante. No prólogo, Cattalabutte, o mestre de cerimônia, recebe as seis fadas do bem, que presenteiam a princesa. Mas antes que a sétima fada, a Fada Lilás, desse o presente mais poderoso, chega Carabosse, a fada do mal, seguida por ratos.

Carabosse, que não foi convidada, anuncia seu presente: ao completar 15 anos, a princesa vai furar o dedo em uma agulha e morrerá. A Fada Lilás, que ainda não havia dado a sua bênção, ameniza o feitiço de Carabosse e diz que Aurora não morrerá, mas cairá em um sono profundo até que um belo príncipe a desperte com um beijo.

 

O primeiro ato, denominado “O Feitiço”, mostra o aniversário de Aurora. Toda a corte saúda seus pais e seus convidados: príncipes cortejam e dançam com a princesa e a celebração prossegue animada até que uma misteriosa figura aparece e oferece um buquê de flores à aniversariante, que dança encantada com presente, que esconde uma agulha. Ferida, Aurora continua dançando atordoada até desmaiar. É quando Carabosse se revela a todos e se retira do salão. Em seguida, a Fada Lilás aparece e espalha seu encanto por todo o reino, fazendo com que todos adormeçam junto com Aurora.

 

O segundo ato, “A Visão”, acontece na floresta, onde, durante uma caçada liderada pelo príncipe Desirèe é envolvido pela magia da Fada Lilás e tem uma visão da bela princesa adormecida. Desirèe é conduzido pela fada ao reino do Rei Florestan e encontra Aurora em seu leito. Apaixonado, o príncipe beija sua amada, despertando-a. Todo o reino também acorda e o príncipe pede a mão de Aurora em casamento.

Já o terceiro ato, “O Casamento de Aurora”, mostra os habitantes fantásticos de outros reinos, que foram convidados pela Fada Lilás para a grande celebração. Entre eles estão a Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Mau, O Gato de Botas e a Gata Branca, o Pássaro Azul e a Princesa Florine. Todos dançam alegremente.

 

SERVIÇO: Espetáculo de balé “A Bela Adormecida”, com a Ballare Escola de Dança e direção de Ana Rosa Crispino. No Theatro da Paz, sábado (8), às 20 horas e domingo (9), às 18 horas. Realização: Ballare Escola de Dança. Informações: (91) 3241-3182 e (91) 8408-4707.   

 

Texto: Luciane Barros

Fotos: Manoel Pantoja

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 16:58
Tags:

mais sobre mim
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar
 
myspace views counter
blogs SAPO