Simplesmente Lu

Julho 31 2006
anjinhabig.gif Tem um tema que me fascina: anjos. Adoro acreditar nestes seres iluminados que possuem asas e auréolas. No Espiritismo eles são chamados de espíritos protetores, espíritos de luz e similares. Mas o que me fascina mesmo é a imagem que guardei desde a minha infância. Só de imaginar um anjo lindo velando meu sono ou me orientando, perco a metade dos meus medos. Ultimamente tenho ampliado a percepção que tenho sobre estes seres. Gosto de enxergá-los nos meus amigos, nas situações da minha vida, nas minhas inspirações. Tento ficar conectada para captar os sinais que eles enviam no meu cotidiano. Quem nunca passou por isso: estar precisando ouvir um conselho sobre algo e, de repente, ouvir de alguém exatamente a resposta que precisava, sem ter falado nada sobre o assunto a esta pessoa? Os sinais também são fascinantes e estão por todo lado, o tempo todo. Por exemplo, a gente olha a televisão de relance, quase sem querer - ou por alguma inspiração divina - e lá está o sinal, algo que nós dá o "insight" que precisamos. Tenho uma amiga que gosta de falar em sincronicidade, que é quando um acontecimento ou pensamento ocorre quase ou ao mesmo tempo para duas pessoas. Para que isto aconteça, segundo ela, é preciso estar em sintonia. Li algo sobre o assunto e aprendi que são os nossos desejos que criam as sincronicidades, ou seja, pensar com vontade em algo que se quer. Os anjos nos ajudam nestas boas vibrações. Quando isto acontece, de acordo com Paulo Coelho, "todo o universo conspira para que seu desejo se realize". Na Bíblia os anjos são mensageiros, sempre estão lá antes dos acontecimentos importantes, avisando e preparando as pessoas para o que virá. Na vida, os anjos possuem porta-vozes, como professores, jornalistas, escritores e em especial os que se utilizam da palavra. Pena que muitas vezes as pessoas não ouvem estes anjos ou o seu próprio anjo da guarda, que pode ser chamado também de sua própria consciência avisando o que deve ser dito ou alertando se alguma coisa não vai bem. Toda esta nostalgia angelical me fez lembrar um filme, "Faraway, So Close - Tão Longe, Tão Perto" (Win Wenders). Na película, um anjo cai na Terra para salvar uma criança e acaba por se tornar humano. É muito linda a maneira como é mostrada a influência dos anjos na vida dos homens. A leveza e a paz que podemos ter na nossa vida com os anjos sempre por perto. Acho que é difícil falar em anjos para pessoas céticas, mas penso que não é preciso acreditar em anjos para ter bondade no coração e atitudes corretas. Para quem acredita, é possível sentir a presença destes seres iluminados, representantes de Deus. Não importa como são chamados, podem mesmo ser nomeados de energia positiva; o que vale é sentir a influência benéfica destes seres mágicos. É como os anjos falam em "Faraway...": "deixem-nos olhar seu mundo através de nós, capturar aquele doce olhar novamente; assim estaremos mais perto de vocês e vocês estarão mais perto Dele".
publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 09:19

mais sobre mim
Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar
 
myspace views counter
subscrever feeds
blogs SAPO