Simplesmente Lu

Outubro 28 2007

Nas fotos abaixo, o fotógrafo Bruno Gomes registra momentos de Intrínseco - Conflitos e Cumplicidades, com a Joca Vergo Cia de Dança. Em cena, Joca Vergo e Marilice Bastos, intérpretes-criadores do espetáculo, que conta com Jacqueline Pinzon na direção de atuação; ao lado de Joca, ela também assina a direção cênica. Fiquei encantada com as fotos, que são um espetáculo a parte (Cris, agora deu mais vontade ainda de assistir...) - elas estão no seguinte endereço: http://brunofcg.multiply.com/photos/album/52 Posso afirmar que fazer foto de dança não é fácil; encontrei poucos fotógrafos com essa sensibilidade. E Bruno está de parabéns. Mesmo sem assistir, dá pra sentir um pouco da essência de "Intrínseco" através do olhar dele sobre o espetáculo. Uma prova disso é o comentário de Jacqueline Pinzon, retirado do albúm virtual do fotógrafo: "Nossa, as fotos ficaram belíssimas! Parabéns pela inventividade. Normalmente não gosto de 'invencionices' nas fotos das performances, como se o fotógrafo quisesse competir com o espetáculo. Mas neste caso, os enquadramentos e a composição que tu utilizas, trouxeram um novo olhar pro nosso trabalho, e revelou alguns significados que estavam velados e outros tantos que nem haviam nos ocorrido."

 

Faz um bom tempo que conheço e admiro o trabalho do gaúcho Joca Vergo, que já esteve por terras paraenses mostrando sua arte. Para esta montagem, Joca convidou a cantora Elinka Matusiak e violoncelista Tiago Ketzer. Bem ao seu estilo, já que ele sempre trabalhou muito bem a dança com outras linguagens artísticas. Por e-mail, Joca me contou que está feliz com a sua nova criação, a qual está sendo bem recebida pela classe artística e pelo público em geral. Ele disse ainda que sente que chegou na sua maturidade cênica e coreográfica.  Mais sobre a Joca Vergo Cia de Dança no http://www.jocavergociadedanca.com/index.html 

  

Joca Vergo & Cia

Joca Vergo & Cia

Joca Vergo & Cia

Joca Vergo & Cia

 

Trajetória de sucesso -  O trabalho do gaúcho Joca Vergo tem reconhecimento nacional na área da dança contemporânea e, ultimamente, tem sido aclamado internacionalmente. O "balé aéreo" (Acrobacia Aérea em Tecido) é um dos grandes destaques de algumas de suas montagens coreográficas. Com técnicas de rapel e de dança, as formas inusitadas desenhadas no ar, através de coreografias compostas pelo tecido e pelo corpo do bailarino, em perfeita sincronicidade, lembram o movimento dos trapezistas. A utilização de diversas linguagens artísticas nas concepções dos seus espetáculos é característica marcante do seu trabalho, que mescla com criatividade todas estas vertentes e  acrescenta elementos cênicos que complementam a leitura coreográfica dos espetáculos.

 

Joca Vergo  residiu por alguns meses no Pará, ministrando cursos, dançando, ganhando prêmios e fazendo amigos. Foi, inclusive, escolhido como o melhor coreógrafo em uma das edições do Festival Internacional de Dança da Amazônia (FIDA). Em 2006, a frente da  Joca Vergo Cia de Dança, o bailarino participou de dois festivais na Colômbia, ganhou o troféu Açoiranos de Dança e foi contemplado com um prêmio de intercâmbio, concedido pelo Ministério da Cultura (MinC). Foi a única representante do Brasil no 8º Festival de Teatro Callejero de Messitas em El Colégio (Colômbia, outubro de 2006). Na ocasião, a companhia apresentou "Fragmentos Personários", espetáculo poético-musical que é uma grande confraternização das artes cênicas (poesia, teatro, música, dança e técnicas aéreas) na  celebração das lembranças da vida de um palhaço veterano. Vale a pena conferir o trabalho desse artista multifacetado!

  

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 05:05
Tags:


Caramba...que belo! Valeu o post !

Beijos.
cris a 29 de Outubro de 2007 às 23:20

namaste amiga!! passei para te deixar um raio de sol!!!
ana a 1 de Novembro de 2007 às 19:43

mais sobre mim
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
20

24
25
26
27

29
30
31


pesquisar
 
myspace views counter
blogs SAPO