Simplesmente Lu

Novembro 24 2009

Franssinete Florenzano descreve de forma louvável quem é o deputado Vic Pires Franco. Não é de hoje que tenho total aversão a este homem. Vale também ler os comentários do post que reproduzi abaixo, retirado do blog da jornalista, o URUATAPERA

Segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Falta de decoro

Como não acesso seu blog, o deputado Vic Pires Franco veio, usando o anonimato, e mandou seus asseclas reproduzirem para mim as imagens e textos ofensivos que ele publicou a respeito do café da manhã dos blogueiros com a governadora Ana Júlia Carepa, hoje.

Trata-se de mais uma investida torpe de um parlamentar que desonra o mandato e envergonha as famílias paraenses. Usa seu blog para difamar, injuriar e caluniar as pessoas, fazer fofocas da vida dos outros e politicagem para si e sua mulher – que já foi vice-governadora deste pobre Estado, secretária especial de Proteção Social e candidata a prefeita de Belém, mas não consegue sequer fazer o próprio marido se dar o devido respeito e respeitar pelo menos as mulheres, mães, profissionais e servidoras públicas que o casal se oferece para representar -. Para usar o bordão que ele adora, Vic Pires Franco é o maior ladrão da honra alheia que a História do Pará já viu.

Pago com o nosso dinheiro, passa os dias se auto-elogiando e fazendo proselitismo, ao invés de trabalhar, como é sua obrigação. Confiante na impunidade, destrói reputações, abala moralmente e faz de seu blog palanque eleitoreiro. Chafurda na lama de suas nojentas postagens e asquerosos comentários. Não tem noção do que é cidadania. Diz-se jornalista – quando jamais passou de locutor de TV, ainda assim só na emissora de amigo de infância, e isso no tempo em que essa função podia ser exercida por alguém que não fosse profissional da área -. Seu registro no Sindicato dos Jornalistas é precário, também por este motivo.

Vic julga os outros pelo que ele é. Um arremedo de político. Um insulto à dignidade paraense. Não fez falta alguma no café da manhã com a governadora. Como também não faz falta alguma na Câmara Federal e muito menos ao Pará.
68 comentários

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 21:55

Julho 14 2009

 

arco-iris-2187

 

Minha homenagem:

 

Simplesmente Ju. Era como,  de vez em quando, eu chamava Juvêncio de Arruda, editor do blog Quinta Emenda e mestre dos blogueiros paraenses (políticos, professores, profissionais liberais, estudantes etc), que sempre se divertia com o trocadilho. Juvêncio de Arruda partiu no início da tarde desta segunda-feira (13), aos 54 anos anos, depois de lutar corajosamente contra um cancêr que o pegou de surpresa nas últimas semanas. O economista, cientista político e publicitário (que fazia mestrado em Ciências Políticas na UFPA) deixou a família, os amigos, a blogosfera, a cidade e o Estado sentido-se orfãos deste grande homem, desta voz que será eternamente lembrada por todos que se acostumaram a visitar o seu concorrido blog, já atualizado nas primeiras horas da manhã. 

 

Comentava com a minha amiga Nerusa, voltando do trabalho, o quanto a notícia tinha me abalado. No mesmo instante, um lindo arco-íris apareceu na nossa frente, formando um sorriso enviesado... Mais do que um sinal, era a certeza de que o Ju estava lá em cima, triste de saudade e feliz de saber o quanto é amado por tantos aqui neste Parazão que ele adorava e onde as pessoas aprenderam a ouvir suas críticas certeiras e, ao mesmo tempo, amáveis. Um pouco depois, uma chuva caia lenta e persistente, como as lágrimas dos que, pouco a pouco, tomavam conhecimento da sua partida. Foram os blogs que ele tanto amava que primeiro deram a notícia que ninguém queria ouvir... Acredito que a corrente de fé, de orações e de boas energias, formada nos últimos dias por familiares, amigos e admiradores, o auxiliará na passagem para esta nova fase de sua existência.  

 

Ficaremos com muita saudade do "estilo Ju de ser": da crítica construtiva, da constância nos posts, da criatividade nos títulos, da elegante ironia em resposta aos comentaristas mais exaltados, do carinho por todos, das notícias em primeira mão, do pedido de desculpa pela informação incorreta ou palavra mal colocada... Acima de tudo, o estilo dos que não se calam diante do que está errado. Maior exemplo disso foi ele ter publicado, a menos de uma semana, com todas as limitações físicas, a carta do jornalista paraense Lúcio Flávio Pinto, uma prova da indignação que Juvêncio sentia ao ver uma injustiça sendo cometida: Lúcio Flávio tem razão. Fiquei comovida com esta atitude dele.

 

Acredito que, pessoalmente, ele deveria ser muito divertido e uma ótima companhia, que, infelizmente, pouco desfrutei. Mas, como tantos, aprendi a respeitá-lo neste anos de convívio quase que 100% virtual. A única vez que vi o Juvêncio foi no encontro de blogueiros, promovido em 2007, quando tive o prazer de ouvi-lo falar sobre sua experiência de vida e como blogueiro - palavras que me inspiraram até a ser mais combativa. Com um grande sorriso ele me recebeu neste dia especial. Reproduzo, abaixo, as postagens que fiz sobre este encontro e ainda o texto que ele escreveu com todo o carinho, a meu pedido, "Festa no Interior", que sintetiza a grandeza do ser humano que ele era: sonhador, inteligente, sábio, bem humorado, inspirador, competente, artífice das palavras, príncipe das idéias, rei da blogosfera e um grande  apaixonado pelo Pará. Fica aqui minha singela homenagem ao Juvêncio, Juca, Juva ou  simplesmente Ju.

 

Siga em paz, amigo, pois cumpriste tua missão com louvor. 

 

Saudades!

 

Lu.

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 01:19

Julho 14 2009

Sábado, 9 de Dezembro de 2006

 INTERIORIZAÇÃO. Por Juvêncio de Arruda.

10 DESEJÁVEIS VIRTUDES PARA A POLÍTICA CULTURAL DO PT NO ESTADO
Segunda virtude: Interiorização.
Texto: Juvêncio de Arruda, economista, publicitário e cientista político.
 Link do Blog do Juvêncio, 5ª EMENDA
 

Waldemar Henrique_Paes Loureiro.jpg

 
Terça-feira, 16 de dezembro de 2007

PRÓLOGO: "Festa No Interior "

Fora de forma - deixou a secretaria de Cultura há 16 anos - o poster não se garante senão em simplesmente sugerir atenção ao Pará que poucos gestores públicos se interessam, mas onde vive 75% da população: todo e qualquer lugar fora de Nova Déli.
Juvêncio de Arruda sugere a "virtude" da distribuição, da igualdade.
O Pará, aquele do mapa no formato da galinha Knorr, está dançando.
Porque os governos, e os habitantes de Nova Déli, olham muito pro seu próprio umbigo.

-----------------------------------------------

51 anos de idade, 44 andando pelo interior do Pará.
Há 20 dirigindo documentários e fazendo banco de imagens, em mais de 100 dos 143 municípios. Garanto pra voces que o estado, do ponto de vista da sua "cultura", mudou muito, mas muito.
Chegou muita gente, das mesmas regiões: Maranhão, Ceará, Goiás, Espírito Santo, Minas e sul do Brasil. Esse povo trouxe novos temperos ao caldeirão.
Vi, ouvi e cheirei todos os espaços culturais, manifestações, grandes festas, pessoas que fazem ou fizeram a cultura deste estado neste período.
Waldemar Henrique, Isoca, Noé von Atzingen, Laurimar Leal, Verequete, Haroldo Maranhão, David Miguel, Dica Frazão, Augusto Morbach, Benedito Nunes, Luiz Braga,Gileno Chaves, Paes Loureiro, Vicente Sales, Edyres Proenças, Ruy Barata e mais um cesto além de um cento de gente tão...tão...magnífica.
Aqui ou alhures, autores ou operadores, todos propositalmente misturados, porque todos vivos ou "encantados".
Na minha cabeça todos estão juntos, são juntos.
Trabalhei na secretaria da Cultura, fui conselheiro da FUNTELPA, sou conselheiro de uma escola de samba, fiz planejamento e produção cultural - concebendo, captando recursos e organizando eventos, shows, exposições e seminários na área da cultura.
Aprendi, me diverti - muito mais o segundo do que o primeiro - e conheci toda essa constelação aí de cima.
Ufa! Tá bom?
Por tudo isso, berro: vamos sair para o interior!
Com os barcos e as carretas cheias. De lonas, equipamentos e gente.
Sobe rio e "corta trecho", dia e noite
Prá cá e prá lá, sem parar.
Construindo espaços culturais; museus da imagem e do som com núcleos de produção e distribuição em áudio e vídeo; financiando instrumentos e materiais de trabalho; bancando programas de treinamento e de bolsas de estudo e pesquisa; facilitando a interface dos projetos e ações culturais com os movimentos sociais - da pastoral carcerária aos sem terra, sem esquecer indígenas e quilombolas.
Numa palavra: espaços, registro, formação e articulação.
E festa, muita festa.
Ah! sim, e que a política cultural contemple todas as manifestações e setores da cultura, ainda que devagar.
É melhor andar devagar do que pensola.
Bate esse bumbo aê, Ana Júlia...rs
 
 

Ps: Ilustrando o artigo, um pedaço da conhecida "constelação" de Juvêncio Arruda. Da esquerda para a direita, o carnavalesco Luiz Guilherme Pereira, primo do maestro Waldemar Henrique; o próprio; o poeta João de Jesus Paes Loureiro; e a moça que não consegui identificar. A foto é do arquivo pessoal de Luiz Guilherme.

 

Ps2: Há alguns anos, em entrevista, Luiz Guilherme me falou da "veia popular" de Waldemar Henrique. Em 1974, Waldemar e Paes Loureiro escreveram o samba-enredo "Marajó, Ilhas e Maravilhas", defendido pela escola de samba belenense Quem São Eles. Segundo o primo do maestro, a intenção de um grupo de artistas da época era tentar vincular "o carnaval paraense a um sentido mais amazônico". Em sua época, Waldemar não foi tão popular pelo caráter erudito de certas canções, já que naquele tempo esse tipo de música não tinha tanta penetração nos meios de massa. Sobre o assunto, mês passado tive a agradável oportunidade de conversar com Paes Loureiro, durante um evento, e ele recordou o momento da foto, quando Waldemar recebia a letra do samba.
 

tags:


publicado por Luciane Fiuza de Mello às 03:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | adicionar aos favoritos

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 01:11

Julho 14 2009

 

Terça-feira, 13 de Março de 2007
 

SIMPLESMENTE JU.

 "BLOGS": MOMENTOS DO ENCONTRO

 
Juca.jpg
                                   Juvêncio de Arruda (Juca, Juva ou simplesmente Ju)
 
Alunos da FAZ.jpg
Alunos de Comunicação Institucional da Faculdade de Tecnologia da Amazônia (FAZ) 
 
Blogs_mais fotos.jpg
Lucas Damasceno e Tricia (Assistente de Marketing da FAZ). Meus coleguinhas queridos da UFPA.
 
Blogs.jpg
Cristina Moreno (professora da FAZ e organizadora do encontro); Carol, Bethânia e Antônio Jinkings (que receberam muito bem os participantes); e Carlos Kayath.
 
Blogs_continua.jpg
O blogueiro Walter Jr (do "Caneta sem Fronteira"); Juvêncio ("5ª Emenda"); o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Alberto Damasceno; e José Augusto Fernandes, presidente da Mantenedora da FAZ. 


tags:


publicado por Luciane Fiuza de Mello às 02:47
link do post | comentar | ver comentários (10) | adicionar aos favoritos


 

Sábado, 10 de Março de 2007

Blogs 2 - O Encontro.

Yuri Guedelha.JPG 
 
Super agradável! Posso definir assim a noite de ontem. Promovido pela professora Cristina Moreno, o "Blogs", encontro que reuniu blogueiros, amigos e alunos do curso de Comunicação Institucional da Faculdade de Tecnologia da Amazônia (FAZ), foi um sucesso total, como eu já previa. Além das ótimas colocações do palestrante da noite, o blogueiro Juvêncio de Arruda, do 5ª Emenda, o ambiente da Livraria Jinkings completou a festa, pois é muito interessante. Ficamos no Café Literário, espaço de bom gosto na decoração, na iluminação, no cardápio... E para completar a noite, apreciamos o sax de Yuri Guedelha (foto).
 
Fui com meu amigo Rubem Meireles e tive a grata satisfação de reencontrar e conhecer alguns blogueiros, entre eles, a Carol, o Pedro Nelito, o Bruno Soeiro, a Mari e o Walter Jr. Senti falta do Edyr Augusto, do Fábio Castro, do Yúdice Randol, do Augusto Barata, do Hudson Andrade e outros. Tomara que estejam no próximo encontro.
 
Juvêncio, que é economista, começou falando um pouco de sua experiência profissional, inclusive como marketeiro (ele fez campanha para todos os partidos: pense num cara "safo"... rssrsrsr). Em seguida, fez uma breve explanação sobre o papel que os blogs desempenham hoje. Ressaltando a própria evolução tecnológica, citou pesquisas que apontam a tendência de, um dia, o espaço virtual vir a suplantar os jornais tradicionais. Questões relativas ao papel do jornalista na sociedade também foram abordadas por ele.
 
Depois, alunos e demais presentes puderam fazer perguntas e falar livremente, inclusive sobre temas que dividem as opiniões da blogosfera, como a moderação de comentários nos blogs. Juvêncio de Arruda falou sobre sua experiência no 5ª Emenda e lembrou passagens polêmicas, como o caso de um político que ficou revoltado quando soube que o dono de uma agência publicitária não gostou nada do "plágio" feito por ele durante a campanha eleitoral do ano passado.  O político chegou a questionar a existência da fonte do blogueiro. Falou o que quis, ouviu o que não quis.
 
Parabenizo Cristina Moreno pela ótima organização do encontro. Pena que sai de lá com vontade de ficar. Ficamos todos com gostinho de "quero mais".  


tags:


publicado por Luciane Fiuza de Mello às 06:16
link do post | comentar | ver comentários (11) | adicionar aos favoritos

____________________________________________

 

Do blog da jornalista Cristina Moreno, o morenocris:

Linkado no Meu Coração!

 
Juvêncio de Arruda

O primeiro encontro de blogueiros em Belém foi realizado no dia 09 de março de 2007, na livraria Jinkings, promoção da minha disciplina de Métodos e Técnicas de Pesquisa, enquanto professora na Faculdade de Tecnologia da Amazönia. O palestrante convidado foi um economista por formação, o blogueiro Juvêncio de Arruda, do Quinta Emenda. 'Não sou jornalista. Eu trabalho há 20 anos na comunicação. Fiz o mestrado em Comunicação Científica, mas a minha maneira de ver o mundo começa na economia.'

Na verdade, foi um longo bate-papo, mas deixo apenas uma frase de Juca pra nós:
 

'A definição, conceito mais comum que encontramos sobre Blog, são diários pessoais. É uma definição correta. Realmente eles têm uma marca autoral muito forte, muito presente. Eles são a cara do dono, mesmo quando a gente acha que não são.'


 

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 00:56

Junho 01 2009

Recebi o e-mail abaixo do matemático Max:

 

Olá,

Tudo bem?

Meu nome é Max Carvalho e peço sua permissão para agregar notícias do seu blog à Rede Paraense de Blogs onde fará um pequeno resumo do seu artigo com link para seu blog.

Você pode visitá-lo:

www.paraense.com

Abs,

 

Agradeço publicamente o convite e desejo sucesso ao site.

Lu.

____________

 

Juvêncio de Arruda fala mais no Quinta Emenda sobre o trabalho do Max neste post, que reproduzo abaixo:

 

1.6.09

Rede de Blogs

O matemático Max Carvalho comanda o site Rede Paraense de Blogs.
Empresário da internet, administra alguns projetos em diversas frentes na web, como o Virtual Comunicações, terceirização de websites e consultoria( http://www.virtualcomunicacoes.com.br/), o NetFrases - Blog contendo frases, mensagens e pensamentos, que atualmente está com 6000+ visitas/dia ( http://www.netfrases.com/), o Telescopes & Binoculars - espécie de comércio eletrônico que vende telescópios e binóculos ( http://www.telescopesbinoculars.net/) e o Doll House Miniatures - que vende miniaturas para casa de bonecas ( http://www.miniatureshouse.com/)
Max vive exclusivamente dos ganhos que obtém com a internet.

 

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 15:04

Maio 15 2009

Minha amiga Eva Maués, jornalista de mão cheia, voltou para o "reduto", ou seja, para a blogosfera, esse  vício saudável que nos faz passar ainda mais tempo na frente do computador. E ela voltou com força total: reativou seu blog antigo, Debaixo de Chuva, que de tanto tempo abandonado a fez esquecer a senha de acesso (já aconteceu o mesmo comigo... srsrs) e ainda criou outro, o Webjornalismo, resultado do curso on line que ela está fazendo.

 

Selecionei um post de cada blog da Eva para mostrar aos visitantes do Simplesmente Lu. E também reproduzo, abaixo, uma imagem raríssima, que encontrei no Debaixo da Chuva: é a Eva Lisa (de grana... srsrsrsr) e seu sorriso enigmático (ou seria cínico?!), feita (pelo Da Vinci?), segundo ela me contou, no Museu do Louvre, Paris.    

 

Mon mec à moi*

 

Il joue avec mon coeur,
il triche avec ma vie,
il dit des mots menteurs,
et moi, je crois tout ce

Les chansons qu'il me chante,
les rêves qu'il fait pour deux,
c'est comme les bonbons menthe,
ça fait du bien quand il pleut.

Je me raconte des histoires,
en écoutant sa voix,
c'est pas vrai ces histoires,
mais moi j'y crois !

Mon mec à moi
il me parle d'aventures
et, quand elles brillent dans ces yeux,
je pourrais y passer la nuit :

Il parle d'amour
comme il parle des voitures,
et moi je le suis où il veut,
tellement je crois tout ce qu'il me dit (2 fois)

Oh oui ! Mon mec à moi,
sans jamais dire “ je t'aime “,
c'est rien que du cinéma,
mais c'est du pareil au même.

Ce film en noir et blanc
qu'il m'a joué deux cents fois,
c'est Gabin et Morgan
(enfin, ça ressemble à tout ça)

Je me raconte des histoires,
des scénarios chinois,
c'est pas vrai ces histoires,
mais moi j'y crois !

Mon mec à moi
il me parle d'aventures
et, quand elles brillent dans ses yeux,
je pourrais y passer la nuit

*Chanteuse Patricia Kaas
Parole: Didier Barbelivien
Musique: F.Bernheim

 

 

 

Jornalismo 2.0: nova fase do Jornalismo Web

Nos anos 1990, com a popularização da internet, instrumento antes de uso estritamente militar, os jornais e revistas e até mesmo TVs e rádios, começaram a despejar seus conteúdos on line, sem qualquer tipo de alteração. Este fenômeno foi chamado de Jornalismo 1.0.

 

Na virada do século XXI, o jornalismo web adquiriu um novo formato. Os conteúdos começaram a ser produzidos especialmente para esse meio digital. A linguagem mudou, inclusive com alterações de grafia. A notícia em tempo real passou a ser mais difundida e as empresas começaram a expandir o ramo para equipes contratadas exclusivamente para produzir tal material.
 

O uso de recursos multimídia passou a ser aperfeiçoado e abriu-se um novo mercado para jornalistas. Ferramentas como blogs, twitter, tornaram-se a porta para que qualquer um pudesse se expressar. O mundo virtual abriu portas para conectar um ponto do planeta a outro totalmente oposto.
 

Com o crescimento do acesso ao mundo virtual, não demorou a surgirem teóricos preconizando o fim dos impressos e, mais especificamente, dos jornais. A atual crise econômica mundial levou realmente alguns jornais em todo o mundo a fecharem suas portas e o universo do Jornalismo 2.0 ganhou corpo, mas esse movimento já vinha acontecendo desde os anos 1990.
 

Hoje em dia é difícil não conhecer alguém totalmente familiarizado com o universo digital. A grande rede se tornou um mundo paralelo do qual não podemos deixar de fazer parte. (...)

 

Leia mais aqui.


 

 

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 08:15

Abril 20 2009

 

 [imagem.JPG]

 

Recebi e-mail divulgando o blog Circuito Cultural Paraense, vinculado à Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Quem quiser conhecer o espaço que divulga a cena cultural do Pará basta clicar no endereço  http://www.circuitoculturalparaense2009.blogspot.com/

 

 

Confira o perfil do blog:

 

Local: PARÁ

Quem sou eu

Ação cultural que visa a descentralização dos grandes projetos da capital paraense, proporcionando intercâmbio de saberes e fazeres tradicionais entre as diversas regiões do Pará

Interesses

Filmes favoritos

Músicas favoritas

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 18:24

Março 14 2007

Carol.jpg

"Uma flor nasceu na rua!

Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego.

Uma flor ainda desbotada ilude a polícia, rompe o asfalto.

Façam completo silêncio, paralisem os negócios,

garanto que uma flor nasceu."

 

(Trecho de "A Flor e a Náusea", de Carlos Drummond de Andrade)

 

PS: O post, ainda que tardio (mas ainda a tempo), é uma homenagem ao Dia Nacional da Poesia. Tem mais poesia de Drummond no Cultura Pará

 

PS: A modelo charmosa da foto é a minha amiga Carol, blogueira que inspirou a seleção do texto acima, retirado do seu blog, o  Flor do Asfalto 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 21:52

Março 13 2007
 

"BLOGS": MOMENTOS DO ENCONTRO

Juca.jpg

                                   Juvêncio de Arruda (Juca, Juva ou simplesmente Ju)

Alunos da FAZ.jpg

Alunos de Comunicação Institucional da Faculdade de Tecnologia da Amazônia (FAZ) 

Blogs_mais fotos.jpg

Lucas Damasceno e Tricia (Assistente de Marketing da FAZ). Meus coleguinhas queridos da UFPA.

Blogs.jpg

Cristina Moreno (professora da FAZ e organizadora do encontro); Carol, Bethânia e Antônio Jinkings (que receberam muito bem os participantes); e Carlos Kayath.

Blogs_continua.jpg

O blogueiro Walter Jr (do "Caneta sem Fronteira"); Juvêncio ("5ª Emenda"); o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Alberto Damasceno; e José Augusto Fernandes, presidente da Mantenedora da FAZ. 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 02:47

mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
myspace views counter
blogs SAPO