Simplesmente Lu

Abril 01 2010

 

Quem poderá afirmar que a tão sonhada harmonia perfeita é utopia?

Para o artista que recria formas, movimentos e realidades,

a perfeição encontra-se na busca para  reinventar a vida. Lu.

 

Na foto: Natalia Makarova

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 14:02

Outubro 18 2007

anjo sem asas

 

“É com uma alegria tão profunda. É uma tal aleluia. Aleluia, grito eu, aleluia que se funde com o mais escuro uivo humano da dor de separação, mas é grito de felicidade diabólica. Porque ninguém me prende mais. Continuo com capacidade de raciocínio — já estudei matemática que é a loucura do raciocínio — mas agora quero o plasma — quero me alimentar diretamente da placenta. Tenho um pouco de medo: medo ainda de me entregar, pois o próximo instante é o desconhecido. O próximo instante é feito por mim? Ou se faz sozinho? Fazemo-lo juntos com a respiração (...)

 

Só no ato do amor — pela límpida abstração de estrela do que se sente — capta-se a incógnita do instante que é duramente cristalina e vibrante no ar e a vida é esse instante incontável, maior que o acontecimento em si: no amor o instante de impessoal jóia refulge no ar, glória estranha de corpo, matéria sensibilizada pelo arrepio dos instantes (...)

 

Meu tema é o instante? Meu tema de vida. Procuro estar a par dele, divido-me milhares de vezes em tantas vezes quanto os instantes que decorrem, fragmentária que sou e precários os momentos — só me comprometo com vida que nasça com o tempo e com ele cresça: só no tempo há espaço para mim (...)

 

É de uma pureza tal esse contato com o invisível núcleo da realidade (...). O mundo não tem ordem visível e eu só tenho a ordem da respiração. Deixo-me acontecer (...)”.

 

(Trechos de “Água Viva”, de Clarice Lispector)

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 05:41

Março 08 2007

Dia da Mulher.jpg

Acabei de receber este banner, que tanto me sensibilizou. Compartilho com todos, pelo Dia Internacional da Mulher.       

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 05:04

Janeiro 12 2007

Mario Quintana_montagem.jpg

Se alguém te perguntar o que quiseste dizer com um poema, pergunta-lhe o que Deus quis dizer com este mundo... Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação. Esta vida é uma estranha hospedaria, De onde se parte quase sempre às tontas, Pois nunca as nossas malas estão prontas, E a nossa conta nunca está em dia. Reflexão de Lavoisier ao descobrir que lhe haviam roubado a carteira: nada se perde, tudo muda de dono. Sempre me senti isolado nessas reuniões sociais: o excesso de gente impede de ver as pessoas... Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem. O tempo é a insônia da eternidade. Dias maravilhosos em que os jornais vêm cheios de poesia e do lábio do amigo brotam palavras de eterno encanto Dias mágicos em que os burgueses espiam, através das vidraças dos escritórios, a graça gratuita das nuvens Sê bom. Mas ao coração Prudência e cautela ajunta. Quem todo de mel se unta, Os ursos o lamberão. Todos esses que aí estão atravancando meu caminho, eles passarão... eu passarinho! Mário Quintana.
publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 20:53

Novembro 27 2006

"O sentido está sempre no viés. Ou seja, para se compreender um discurso é importante se perguntar: o que ele não está querendo falar ao dizer isto? Ou: o que ele não está falando, quando está falando disso?". (ORLANDI, E. A Linguagem e seus funcionamentos: as formas do discurso. 4ª. Ed. Campinas: São Paulo, Pontes, 1996, p.275)

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 05:30

mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
myspace views counter
blogs SAPO