Simplesmente Lu

Julho 21 2009

17/7/2009 18:54

Da Redação
Agência Pará

Rodolfo Oliveira/Ag Pa                        Clique na imagem para ampliar Ampliar imagem

No Horto Municipal em Dom Eliseu, estudantes plantaram 50 mudas, marcando o início dos trabalhos do mutirão Arco Verde Terra Legal,

que segue até este sábado (18)

 

 
Rodolfo Oliveira/Ag Pa                        Clique na imagem para ampliar Ampliar imagem

Os alunos plantaram mudas de paricá, cupuaçu e açaí, indicadas para

recuperar áreas degradadas

 
Baixar Baixar fotos

A inauguração de um viveiro e o plantio de 50 mudas do Programa Um Bilhão de Árvores para a Amazônia, no espaço do Horto Municipal em Dom Eliseu, Rio Capim, marcaram, na manhã desta sexta-feira (17), o início dos trabalhos do mutirão Arco Verde Terra Legal no município, que prossegue até amanhã (18), na Escola Municipal Manuelita Andrade.

 

"Terra sem produtividade não serve para nada. Plantar esta muda é plantar uma nova vida para a natureza. É salvar o meio ambiente", comentou o estudante Gustavo Pereira, de 15 anos, que participou da atividade junto com os alunos da escolinha de futebol da prefeitura. Eles plantaram mudas de paricá, cupuaçu e açaí, indicadas para recuperar áreas degradadas. "Muito se fala de Amazônia e o mundo todo está voltado para o povo paraense, que teve essa iniciativa de reflorestamento", comentou Paulo Cezar Oliveira, responsável pela turma e gerente de Esportes e Lazer da Secretaria Municipal de Esportes.

 

O ato de plantar uma muda, para Marcelo Moraes, de 10 anos, representou "uma forma de amor", mensagem que levará para os colegas. Preservar o que se tem para não sofrer as consequencias mais tarde foi o alerta de Ronie Teixeira Alves, de 15 anos, que considera o programa "um incentivo para criar um mundo melhor para as pessoas não sofrerem com o que está acontecendo".

 

O Horto Municipal possui 2,2 hectares, área cedida pelo governo do Estado. O projeto inicial do viveiro, segundo Adário Júnior, secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, prevê a produção anual de 100 mil mudas de urucum, açaí e essências florestais, que potencializarão a agricultura familiar do município. Ele explica que, além do viveiro de mudas, no espaço será feita a seleção e a classificação da goiaba (Pachouse), bem como a clonagem do fruto, que tem grande impacto na economia do município.

 

Dom Eliseu é o maior produtor de goiaba da região amazônica, cuja agricultura familiar registra produção anual de cerca de 500 toneladas. Um empresa privada do município, a Senor, produz anualmente 800 toneladas do fruto.

 

Reflorestamento - O programa "Um Bilhão de Árvores para a Amazônia" é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Lançado em maio do ano passado, em Belém, pelo presidente Lula, é o maior programa de restauração florestal do mundo, um conjunto de políticas públicas que prevê o reflorestamento a partir da parceria entre o poder público e privado. Dom Eliseu foi um dos municípios que mais sofreu com a extração madeireira e de carvão mineral, atividades que mais desmataram nas últimas décadas.

 

Ao todo, 16 municípios receberão o mutirão. As caravanas oferecem desde a emissão de documentos até atendimentos médicos, serviços que pretendem facilitar a vida do homem do campo. O objetivo é promover o desenvolvimento sustentável, através da conscientização ambiental e da regularização fundiária, agilizando os processos e orientando produtores rurais a obterem a titulação, orientação e apoio técnico e financeiro.

 

Participaram da atividade o diretor de Planejamento da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), Cláudio Cunha; o prefeito de Dom Eliseu, Joaquim Neto; os coordenadores estadual e federal do Arco Verde, Nelita Paes e Rogério Guedes; e representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

 

Cláudio Cunha entregou uma camisa do programa para o prefeito, destacando que ele já faz parte do "exército" contra o desmatamento. "A população vai entender a mensagem que dá para produzir sem agredir o meio ambiente. Só assim poderemos trilhar um caminho bem diferente do que foi trilhado até agora", frisou Cláudio Cunha, acrescentando a importância do seguinte tripé: qualidade de vida, futuro ecológico e desenvolvimento econômico.

 

Luciane Fiuza - Secom

 

Terra Legal retoma a regularização fundiária do Iterpa em Dom Eliseu

17/07/2009 10:53
 
Da Redação
Secretaria de Comunicação
 

O Instituto de Terras do Pará retoma em conjunto com o Ministério de Desenvolvimento Agrário o trabalho de regularização fundiária no município de Dom Eliseu, que recebe neste final de semana o Mutirão Arco Verde Terra Legal. A representante do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Heloísa Leal, lembrou que no ano passado 70 famílias já foram cadastradas e tiveram seus lotes georreferenciados no município. "Trabalhamos para identificar as áreas federais e estaduais", explicou. O Iterpa fez a varredura fundiária de cada área, trabalho que será agora intensificado com o Terra Legal, em parceria com a prefeitura, que cederá espaço para um escritório onde o cadastramento continuará.

 

As famílias já cadastradas, em fase de titulação no Iterpa, são do assentamento estadual Alto Bonito e das colônias Santa Maria, Nova Esperança e Rio Verde.

 

A abertura do Arco Verde Terra Legal ocorreu na manhã desta sexta-feira (17), na Escola Municipal Manuelita de Andrade, após o plantio de 50 mudas no horto municipal, por alunos do projeto Escolinha de Futebol da Prefeitura de Dom Eliseu.

 

A produtora rural Ivaneide Jesus dos Santos pretende regularizar seu terreno no município e procurou informações. "Eu criava gado e agora queria um empréstimo para investir na terra, que é produtiva", disse ela.

 

O mutirão atenderá nesta sexta-feira (17) e sábado (18), na Escola Manuelito de Andrade, com palestras, emissão de documentos, orientação sobre cadastro, regularização e financiamento, entre outras ações.

 

Desde quarta-feira (15), representantes de colônias de pescadores e de pequenos produtores e empregados rurais debatem problemas como a falta de documentação, demarcação de terras, necessidade de benefícios, incentivo a projetos de plantação de goiaba, entre outros. Participaram da reunião os coordenadores estadual e federal da Operação Arco Verde, respectivamente, Nelita Paes e Rogério Guedes, além do vice-prefeito Francisco Manoel de Aquino.

 

Quinto dos 16 municípios onde haverá o Mutirão, Dom Eliseu tem cerca de 45 mil habitantes e  atividades produtivas ligadas à pecuária e à cultura de grãos, especialmente a soja e o milho. Dom Eliseu também é o maior produtor de goiaba da região amazônica.

 

Luciane Fiuza - Secom

 

Leia mais:

 

Milhares de pessoas buscam atendimento no Mutirão Arco Verde Terra Legal

 

Terra Legal fez mais de mil cadastros para títulos de terra em três municípios

 

Terra Legal garante o título da terra para agricultores de Ulianópolis

 

E assista ao vídeo sobre o mutirão Arco Verde / Terra Legal

 

publicado por Luciane Barros Fiuza de Mello às 05:54

mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO